Game of Thrones - EP 04 - O Que Bronn Fez

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Sim, sim, sei que você está ansioso, maluco até para ler, comentar, criticar e se deleitar com o maior evento, até então, desta temporada, mas vamos com calma para não sermos consumidos pelo fogo do dragão. 

 

Primeiro vamos deixar que os passarinhos de Lorde Varys façam um breve resumo até aqui. 

  

Na primeira cena do episódio encontramos Jamie Lannister e Sor Bronn da Água Negra retornando vitoriosos da batalha contra o Jardim de Cima, Jamie ordena que pare uma das carroças que está transportando ouro, retira uma saca considerável de moedas e paga a Bronn, que mesmo com o bolso cheio de ouro não parece nada satisfeito por não receber seu prometido castelo.

 

Esta cena parece boba, porém ela é importante para compreendermos porque os Lannisters decidiram acabar com os Tyrell, também para nos situarmos na linha de tempo deste episódio. 

 

Fica claro porque a aliança dos Tyrell com a Daenerys constitui uma ameaça muito grande para o casal incestuoso pois não só eles eram os protetores do sul (aprendi no cast sobre o terceiro episódio) como também possuíam boa parte, se não toda a comida distribuída em Porto Real, e um tesouro bastante considerável (uma pequena parte é mostrada quando Jamie retira a saca para pagar o mercenário Bronn), é isto que fará toda a diferença para a Rainha, inclusive para reconquistar a confiança do Banco de Ferro. 

  

ARYA EM CASA

 

Quando os Stark se separaram na 1ª temporada, não se imagina que um dia poderia haver um reencontro, principalmente depois de tudo o que aconteceu. Por isso quando Arya retorna a Whinterfell temos a sensação de que estamos finalmente em casa. E temos um certo alívio pois foi como se cada um de nós estivéssemos andando por Westeros.

 

Logo após conseguir entrar em Whinterfell depois de ser questionada por dois guardas, que de guarda não tinham nada, vemos o olhar dela observando as partes do castelo que mesmo reconstruídas, ainda lembram os tempos de infância. E por alguns instantes vemos a pequena Arya de volta ao pátio onde cresceu.

 

Percebemos isso quando faz a "travessura" de despistar os dois tontos que deixaram guardando o castelo. É uma cena legal, pois a Arya se tornou uma assassina talentosa, mas mostra que lá dentro ainda existe uma criança sentindo saudades da infância. 

 

Seu reencontro com a Sansa não chega a ser emocionante, nem mesmo com o Bran, todos passaram por muita coisa, suas vidas foram moldadas por mortes, desafios nada adequados a pouca idade dos personagens e passar por mudanças seria inevitável. 

 

Sansa, sofreu muito e tinha cada passo vigiado por Cersei e os membros da corte do sádico e falecido (graças aos sete) Joffrey Baratheon. Quase foi jogada pela Porta da Lua por sua tia (quem disse que parente bom é parente morto hein?) E para piorar foi servida numa bandeja ao ninguém mais ninguém menos que Ramsay Bolton. 

 

Bran é um sobrevivente nível 20, eu diria.

 

Foi Jogado do alto de uma torre, seja pela magia de Catelyn Stark, vontade dos antigos deuses ou destino, sobreviveu e ficou paralítico. Algo que na época era pior que a morte, pois na idade média a vida de uma pessoa com mobilidade reduzida, devido as condições precárias e ausência de tecnologia, era muito mais difícil que nos dias atuais. 

 

Além disso ele sobrevive aos traidores da patrulha da noite, a uma marcha quase interminável ao extremo norte. E encontrar não uma, mas três vezes com os Caminhantes Brancos. E agora ele é o Corvo de Três Olhos, possuindo o dom de ver o passado e o presente. 

  

Arya escapa com a ajuda de um homem da patrulha da noite, amigo de seu pai, de Porto Real. Para isso se disfarça de menino e anda na companhia das piores pessoas do reino, o tipo normalmente enviado a patrulha.

 

Daí é levada a Harenhall onde literalmente vai parar na "boca do leão". Escapa das torturas e, mas acaba a serviço de Tywin Lannister. Sorte?

 

Encontra ainda com a Irmandade sem Bandeiras que tem em sua custódia, o Cão. Após ser absolvido em seu julgamento, Sendor Clegane a captura diz que vai vende-la a sua família.

 

Vale lembrar que os dois desenvolvem uma estranha amizade. Arya então escapada, após negar dar uma morte misericordiosa ao Cão, chega em Bravos (Valar Morghulis) para comer pão que o Deus sem Rosto amassou, na Casa do Preto e Branco. E mais tarde se recusa cumprir um contrato de assassinato e decide voltar para Westeros...

 

Ufa! 

 

Ou seja, estes três nem de longe, são mais os mesmos. A emoção sentida no reencontro (se é que sentem) é muito sutil, e fica a cargo dos fãs se alegrarem com isso. Ou não! 

 

 

 

JON, DAENERYS E SEUS SEGUIDORES

 

Desde que se encontraram pela primeira vez Jon e Dany estão juntos até agora (metade de temporada). Jon quer convencer Daenerys a largar tudo e ir para o norte enfrentar uma ameaça muito maior. Dany, por sua vez, quer que Jon se curve perante ela e jure vassalagem em nome dos que representa. Isto para evitar que ela saia por aí dando Dracarys em todo mundo.  

 

Porém até o momento nenhum dos dois teve êxito, assim continuam a bailar tentando persuadir um ao outro. 

 

E olha que feliz coincidência para Jon Snow, a mina de Vidro de Dragão acabou sendo mais útil que ele imaginava pois lá encontrou pinturas deixadas pelas Crianças da Floresta, contando a história de que mesmo?

 

Exatamente sobre a união com os Primeiros Homens para combater a ameaça dos Caminhantes Brancos. 

 

O lance das pinturas foi bem legal, mas não sei se foi o suficiente para convencer a mãe dos dragões, quebradora de correntes, nascida da tempestade, etc. etc, etc...

 

E ela não ficou muito satisfeita ao saber que mesmo conquistando o Rochedo Casterly, haviam perdido seus mais importantes aliados no Jardim de Cima. E respondeu ao Tyrion, mão da rainha: "Chega de planos inteligentes", dando a entender que partiria para ação. 

 

No entanto, é mais uma vez é desencorajada pelos seus seguidores a atacar Porto Real, fato que deu mais força as teorias conspiratórias “pipocantes” no maravilhoso mundo da internet, a respeito de que Daeny estaria sendo traída por um de seus "fieis" conselheiros. Afinal estão desde de o inicio tentando evitar que ela ataque a Fortaleza Vermelha e destrua de vez seus inimigos. 

 

E aí? Tem rato nesse navio? Ops... os navios da Daeny já eram... então tem boi na linha? Ah vocês entenderam...

 

Será que há um vil traidor no séquito de Daenerys? 

 

Façam suas apostas. 

 

 

O MASSACRE DOS LANNISTERS

 

Voltamos a acompanhar Jamie e sua comitiva, e aqui uma cena chave ajuda a compreender a virada (muito rápida) que ocorre nesse episódio. Sinceramente nem esperava!

 

Lorde Tarly, diz a Jamie que o ouro está em segurança em Porto Real, isto indica que o tempo (seja quanto for), embora não tenha sido mostrado, passou. É isto o que temos para saber que Daeny teve tempo de mobilizar uma horda de Dothrakis e ir ao encontro dos Lannisters.

 

Hummm... sei não...  

 

Mobilizar cerca 100.000 Dothrakis não seria tão rápido e fácil, mas como não podemos afirmar exatamente quanto tempo se passou, temos de aceitar que foi o suficiente.

 

Essa cena também mostra que o ataque ocorreu próximo a Porto Real. (se algum de vocês souberem a localização geográfica exata da batalha, postem nos comentários). 

 

Minha opinião fedida é que Daenerys deveria ter atacado com os três dragões. Isto seria mais que suficiente para pegar de surpresa um exército despreparado em marcha. Porém parece que isso seria esporro demais, e com certeza seria o fim de todos ali. Incluindo personagens importantes para a trama. Assim os roteiristas... digo Daeny, decide atacar com os Dotrhakis e somente um dragão (boazinha).

 

Porém é inegável que o recado foi muito bem dado. Do tipo: 

 

Olha aqui, sua vadia, você afundou meus navios, acabou meus aliados, mas veja o que é poder de verdade. 

 

E é isso, com apenas um dragão, 1/3 de seu poder de fogo (tudum tis), Daenerys acaba com boa parte das forças de Cersei.

 

E o recado está dado! Renda-se ou vire "churrasquinho" de dragão. 

 

Falamos muito sobre essa batalha (episódio) no PoserFast, ouçam lá e digam o que acharam das nossas impressões. 

 

Este é meu momento preferido de todo o episódio. (Não diga). Tanto que o considero melhor até mesmo que a batalha dos bastardos — isso mesmo que você leu. Um dos motivos é porque a batalha acontece sem qualquer aviso. Está certo que vemos Daeny dizendo que chega de planos ardilosos, mas a essa altura imaginava que a reação dela só viria no próximo episódio.

 

O outro motivo, penso ser até comum a todos os fãs da série: há muito tempo esperávamos um ataque tão poderoso como aconteceu nessa batalha. Sim, os dragões já foram usados antes para acabar com a rebelião dos mestres de escravos em Meereen, mas não é a mesma coisa do que destruir o exército dos Lannisters.

 

Também porque acredito que, independente de alguns pequenos furos, desses encontrados nos melhores filmes e séries da atualidade, que essa batalha teve a maior importância não apenas para a trama, mas como para a série em si.

  

Porque até aqui assistimos episódios legais como foi o terceiro (veja um resumo), mais em termos de impacto emocional, até agora, este é de longe o que mais conseguiu me empolgar.

 

Me fazer grudar no sofá e gritar — Vai Daeny... Dracarys neles... Yeah.

 

Sem falar que foi até então o episódio mais assistido. 

 

Mesmo antes da chega do dragão quando vemos somente a horda de Dothrakis. E eles avançam destemidamente em direção a frágil parede de escudos formada às pressas pelos Lannisters. As lanças ainda conseguem conter os primeiros, mas logo chega o restante da carga e aí ninguém segura a pressão, os Dothrakis rompem a parede e seguem matando quem encontram pelo caminho.

 

Afinal eles não têm medo, não hesitam em atacar, mesmo que seja de forma arriscada. Algo que me fez lembrar grande Genghis Khan e sua horda imparável de Mongóis que devastou persas, cristãos, chineses e quem mais encontrassem pelo caminho. 

 

Aliás acredito ser esta uma das inspirações para o Martin criar os Dothrakis! 

 

E para quem não conhece sobre os Mongóis, fica a dica... Busque no Google, garanto que não vão se arrepender. 

 

Nesta cena fica evidente o despreparo de um exército profissional para lidar com a ameaça dos Dothrakis, porque ao longo da série muito se fala sobre os terrores de se combater uma horda deles, mas fora algumas cenas, GOT não nos mostra isso tão bem como no episódio 4.

  

A batalha teria sido facilmente vencida sem o Drogon, é bom que se diga isso.

— Mas que bom que não foi, pois fomos agraciados com as cenas de Drogon mandando fogo em todo mundo.

 

Nunca pensei que teria tanto poder... Sinceramente, se eu estivesse naquela parede de escudos de merda, teria largado tudo e me mandado dali o quanto antes. Pensa se vou enfrentar uma horda de bárbaros e ainda um “demônio” cuspidor de fogo?

 

É muito foda tudo o que acontece nesse episódio, mesmo com alguns pequenos furos. 

 

Hã? Furos?

 

Sim, e não me venha com essa porque sei que você já deve ter lido alguns pela internet.

 

As coisas iam muito bem até Bronn ter feito tudo que fez... 

 

Como Jamie teve a mão direita decepada, coube a Bronn deixar de ser um bom mercenário e atirar contra Drogon e Daenerys.

 

Ele erra o primeiro disparo, o que entendo ser uma espécie de aviso sobre a arma Escorpião desenvolvido por Qyburn. Porém, no segundo, Daeny não faz qualquer tentativa de desviar da seta.

 

Mas isto não chega a ser um furo, talvez um pouco de arrogância ou falta de experiência de Daenerys. Isto se considerarmos que ela tem poder para controlar seu dragão, é claro! 

 

Drogon é atingido mas isso não é suficiente para abate-lo. (ainda bem!) Então ele impede a queda e retorna o ataque com muito fogo.

 

E aqui começam as cenas estranhas... 

 

Drogon dispara o fogo em direção aonde está a arma que o feriu, Bronn salta da carroça portadora do escorpião e caí bem perto, observe que não o vemos rolar hora nenhuma. Então podemos ver quando a rajada acerta o chão, e a câmera distância que a área atingida foi muito maior, e facilmente o queimaria por inteiro e não somente chamuscado sua roupa como foi mostrado. 

 

O que nos leva a aquele desfecho...

 

Jamie Lannister está assistindo a desolação causada por Daenerys, e mesmo vendo toda a destruição, corpos queimados e que nem a Escorpião foi capaz de abater o dragão, ele decide que vai atacar... — Vai entender!

 

Jamie pega uma lança ali perto, acelera em carga em direção onde Drogon pousou e Daenerys tenta retirar a seta que o atingiu, e só vemos o cavalo branco de Jamie. Porém no momento em que Drogon notou a aproximação e estava prestes a disparar um jorro de fogo, um segundo cavalo aparece magicamente, seu cavaleiro salto e empurra Jamie para o lago ali perto.

 

E adivinhe quem apareceu para salva-lo? 

 

Quem disse Tyrion, errou! 

 

Analisando a imagem é possível ver que no instante decisivo que está montado o segundo cavalo é Bronn! Ele mesmo! Quem escapou do fogo do dragão e cavalgou milagrosamente para salvar seu “amigo” Jamie.

 

É ele e não Tyrion, como muitos acreditaram, quem salva Jamie Lannister da morte certa. 

 

O problema aqui é que a cena é muito rápida e em momento algum vemos Bronn pegar um cavalo ou ao menos olhar para aonde o dragão está ou montar num cavalo, qualquer coisa que indicasse suas pretensões de salvar o herdeiro de Twyn.

 

E para terminar essa sequência duvidosa, quando os dois caem no lago ali perto, que na cena da cavalgada vemos ser uma margem bem rasa, Jamie e Bronn afundam como se estivesse no meio de um lago profundo e não na beirada.

 

Nada disso teria acontecido se Jamie decidisse fugir como seria esperado, ficaríamos apenas com a asa do dragão que não balança as folhagens da árvore (obrigado a minha esposa) e Bronn ter escapado da morte certa. 

 

Porém nada disto tiro o brilho deste magnífico episódio, afinal este tipo de furo se encontra em quase todo conteúdo visual. Também não diminui a importância dele para a trama toda. 

 

Por fim restam as perguntas: 

 

Quem salvará Jamie Lannister de novo da morte certa? Sério... vocês ainda têm dúvida? 

 

Qual será o destino dos sobreviventes? 

 

O que fará Cersei após sofrer uma derrota esmagadora? 

 

E muito mais... 

 

Façam suas apostas e até o próximo 

  

Valar Morghulis 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS